No Final do Corredor

histórias, experiências e lições de vida

30 de maio de 2016
Ana Lucia Coradazzi

8 comments

Slow Medicine: o futuro da medicina pode estar no passado

Slow medicine

Há alguns dias, seguindo a indicação de uma amiga, conheci o site Slow Medicine, coordenado pelo médico geriatra José Carlos Campos Velho, no qual são descritos e discutidos conceitos relacionados a uma nova-velha forma de exercer a medicina. A falta de tempo nas consultas médicas e a avalanche de tecnologias oferecidas aos pacientes para compensá-la há muito já não é suficiente para satisfazer os pacientes. A duras penas, temos aprendido que fazer mais nem sempre é fazer melhor, e pode inclusive ser pior. A medicina altamente tecnicista não só desagrada aos pacientes. Ela também frustra os médicos, que sentem-se reduzidos a um solicitador de exames, ou um burocrata, do qual pouco se espera além de uma prescrição.

A Slow Medicine se propõe a resgatar a arte da relação entre médicos e pacientes, mas isso nem de longe significa desprezar os recursos tecnológicos hoje disponíveis. Trata-se, isso sim, de utilizá-los quando realmente são necessários, e não para suprir as deficiências causadas pela falta da prática médica humana adequada. O tempo que o médico dedica a seu paciente é parte importante da própria terapêutica que se seguirá. Escutar os pacientes é tão ou mais importante que analisar os resultados de sua tomografia. É o que permite que a medicina seja individualizada, mesmo que dentro de diretrizes objetivas de condutas.

Um retorno ao passado que, certamente, garantirá um futuro muito mais digno e humano.

 

 

8 thoughts on “Slow Medicine: o futuro da medicina pode estar no passado

  1. Temos certeza absoluta que a prática desta atitude além de trazer maior conforto aos pacientes, poderá oferecer aos profissionais maiores informações absolutamente necessárias para a boa condução da terapêutica. Sabemos também que irá depender dos “profissionais” que vem na medicina um ato de “servir”, para alguns já em desuso.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Republicou isso em eliparadae comentado:
    Vamos aprender 👏🏻

    Curtir

    • A Slow Medicine, a Oncologia e a Medicina Paliativa devem andar de mãos dadas, buscando oferecer as melhores alternativas de cuidados para os pacientes, de maneira racional e compassiva, respeitando seus valores, expectativas e sua singularidade. A informação e a democratizaçào dos conhecimentos permitem decisões compartilhadas e apontam sempre para a busca incansável de qualidade de vida e dignidade.

      Curtir

  3. A Slow Medicine, a Oncologia e a Medicina Paliativa devem caminhar de mãos dadas, buscando oferecer as melhores alternativas de cuidados para os pacientes, de maneira racional e compassiva, respeitando seus valores, expectativas e sua singularidade. A informação e a democratização do conhecimento permitem decisões compartilhadas e apontam sempre para a busca incansável da dignidade e da qualidade de vida.

    Curtir

  4. Pingback: Slow Medicine na Amazônia - Slow Medicine

  5. Pingback: Slow Medicine na Amazônia – SlowMedicine

Deixe um comentário

Required fields are marked *.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: